Como funciona o Tarot?

Como funciona o Tarot?


A ideia básica por trás do Tarot é muito simples – um baralho de cartas de Tarô é composto de 78 cartas, cada uma das quais tem um significado específico relativo à um conceito particular da vida do consulente ou experiência.
Em uma leitura do tarô, as cartas são embaralhadas e depois dispostas em uma configuração através de um determinado padrão, onde cada posição representa um aspecto particular da vida, por exemplo, “o passado recente” ou “sentimentos atuais “.

Em seguida, analisa-se o significado de cada carta em sua corresponde posição, analisa-se o conjunto em questão e a partir dessa interpretação, posiciona-se ao cliente o que o jogo de tarot apresenta sobre o seu estado atual de vida e as perspectivas dentro da questão proposta.

Ora, isso é algo muito simples de descrever, mas surge uma questão muito importante – como o tarot funciona?

Como as cartas do tarot se organizam em um “padrão significativo”?

Por que alguns pedaços de papelão com algumas belas imagens neles impressa é capaz de reorganizar-se misteriosamente em uma ordem que nos “fala” sobre a nossa vida e experiências com detalhes que muitas vezes excede o que conscientemente somos capazes de observar?

A primeira e mais importante coisa a perceber é: ninguém sabe ao certo!

Algumas pessoas podem afirmar que sabem, podem insistir que têm o conhecimento secreto, que obtiveram sua resposta em primeira mão de uma “sacerdotisa egípcia honesta”, de uma “entidade cigana” ou de “uma voz do outro mundo”, que existem provas “científicas” sobre a origem das cartas do tarot em alguma “sociedade secreta” e até mesmo, de “seres vindo do espaço”, mas acredite, tudo não passa de teorias inventadas ou desvarios de tolos iludidos.

Se alguém insistir que sabe toda a resposta verdadeira e completa, então provavelmente estão tentando vender algo para você.

Ironicamente, consultar as cartas do tarot é também o meu trabalho, contudo, a honestidade é um valor que não tem preço, inventar fantasias a respeito do tarot para dar uma perspectiva mística ou sobrenatural como se isso tivesse alguma utilidade prática não é correto… Por isso, eu ainda vou insistir, ninguém sabe ao certo os fundamentos que fazem com que o tarot funcione. Inclusive eu!

Mas então, você pode perguntar, qual o objetivo desse artigo se ninguém tem a resposta?

Bem, quando não compreendemos com certeza como algo funciona, o melhor que se pode fazer é investigar algumas teorias para avaliar e comparar.

Muitas pessoas têm produzido muitas teorias diferentes ao longo dos anos.

Eu fiz o meu melhor para produzir um resumo das ideias mais comumente encontradas.

Olhando para cada um delas, talvez cheguemos a conclusão que não podemos discernir a Verdade final (até porque talvez nem exista), mas podemos entender mais sobre o modo como as pessoas pensam a respeito do Tarô e julgar como nossas próprias experiências como o Tarô e o mundo em geral se relacionam com as diferentes teorias.

Tarot – Teoria dos jogos lúdicos

Esta explicação diz que não há nada minimamente técnico ou peculiar sobre a realização de uma leitura do tarô, sendo porém,  uma experiência profundamente valiosa realizar uma consulta as cartas do tarô.

A ideia básica é que as cartas são distribuídas e aparecem em uma ordem totalmente aleatória e sem sentido. Será a ação de interpretá-las, independente de métodos, o que tornará o processo útil.

A maioria das pessoas tende a analisar situações de uma forma muito lógica, baseada em um conjunto de suposições inconscientes e em um conjunto muito limitado de expectativas e que, portanto, tendem a chegar a um conjunto muito limitado de conclusões, o que pode embotar a sua compreensão das situações.

Contudo, o esforço necessário para ajustar as cartas “aleatórias” em um padrão “significativo” obriga um leitor a pensar fora de sua mentalidade normal limitada, o que pode levar a novas ideias, insights e pode forçar sua intuição a começar a resolver os problemas de maneiras novas e interessantes.

Assim, embora não haja nada de “significativo” sobre o layout das cartas do tarô, o esforço de tentar encontrar significado ajudaria a obter uma visão melhor e mais original sobre os problemas enfrentados.

É claro que essa interpretação da teoria do jogo faz pouco para sugerir por que outra pessoa seria capaz de ler para você com sucesso.

Tarot e a Sincronicidade

Esta era uma ideia que Carl Jung estava terrivelmente interessado. Ele sugeriu que, além da causalidade (a ideia de que todo evento ocorre como resultado de uma causa específica), há outra razão pela qual os eventos ocorrem: a sincronicidade.

De certa forma, a sincronicidade é uma maneira elegante de dizer “por coincidência”, mas a implicação é que, assim como há acontecimentos que são moldados por acaso, há ocasionalmente “coincidências significativas”, isto é, eventos que parecem acontecer por acaso, que, entretanto, possuem significado para a pessoa a quem elas ocorrem.

Assim, usando um sistema elaborado como a colocação de uma jogada no Tarô (o próprio Jung costumava trabalhar extensivamente com o I-Ching), estamos invocando a sincronicidade em nossas vidas e as cartas “se apresentarão organizadas” em uma ordem que nos diz algo útil sobre nós mesmos ou sobre a pergunta que elaboramos.

O Tarot e a Influência do subconsciente

Esta é a sugestão de que nossas mentes subconscientes são mais poderosas do que normalmente as pessoas acreditam.

Diferentes áreas de estudo psíquico acreditam na mente subconsciente com toda uma gama de poderes e habilidades de que geralmente não temos consciência.

Como explicação para o tarô, costuma-se supor que, de alguma forma, a mente subconsciente “conhece” a ordem das cartas do tarô e, por meio de um processo psicocinético durante o embaralhamento, as cartas se alicerçam numa ordem que transmite uma resposta útil para a pessoa que realiza o jogo, com base em insights que a mente subconsciente presumivelmente já possuía.

Tarot e a Magia

Geralmente a magia (Magik) significa “fazer acontecer os eventos de acordo com a sua vontade”.

Neste caso, a vontade do leitor é que as cartas se organizem de forma significativa, a fim de revelar algo útil.

A explicação mágica é simplesmente que essa intenção focada é suficiente para fazer as cartas se arranjarem de uma maneira útil.

Esta é, naturalmente, não uma explicação mecanicista, mas apenas uma descrição de uma maneira particular de ver o Tarot.

Envolve aceitar como explicação que a magia é real e que o Universo realmente responde e muda de acordo com a vontade de um indivíduo.

Também sugere que é preciso alguma habilidade “extra” necessária para “fazer o Tarô funcionar”, além de simplesmente embaralhar, jogar e interpretar as cartas.

Além disso, o baralho de cartas de Tarô deve ser particularmente suscetível a esta forma de influência mágica, originando-se daí inúmeros baralhos relacionados a ordens herméticas e ocultistas.

A aleatoriedade facilita a influência do “mago” sobre a ordem das cartas, uma vez que elas não são fixas e podem simplesmente aparecer na ordem certa por influência da “vontade” do operador.

Uma grande quantidade de “magia” está relacionada com a simples manipulação do acaso – que é um dos problemas para se dar credibilidade a esse tipo de teoria.

O tarot, espíritos, guias e entidades

Entidades invisíveis influenciariam o embaralhamento das cartas do tarot e as organizariam na ordem certa, para, em seguida, “sussurrarem” o verdadeiro significado deles no ouvido do “tarólogo”.

Nesse universo de influências abstratas ao jogo de tarot, é possível ver de tudo, supostos mentores de luz, espíritos ciganos, orixás, exus, pombagiras, talvez até mesmo duendes como explicação para as respostas obtidas nas consulta de tarot.

Apenas torna-se curioso e de difícil explicação a necessidade das cartas de tarot, se, de algum modo, quem está respondendo não é o tarólogo que interpreta as cartas e sim, um “espírito”?

Um espírito precisaria de um instrumento material como as cartas para obter as respostas?

Mas, se segundo essa teoria, é a própria entidade quem manipula o embaralhamento e a disposição das cartas no jogo, então tecnicamente não haveria a necessidade das cartas. Confuso!!!

Talvez, baseados na visão de mundo idiossincrática da pessoa que se propõe a jogar as cartas, esse sincretismo possa fazer sentido, contudo, não seria mais adequado respeitar a cultura de origem dessas crenças religiosas, optando por exemplo no caso de orixás ou entidades umbandistas por jogos de búzios, sem fugir da tradição? Afinal, o tarot tem origem na Europa medieval, não tendo link nenhum com a África.

O Tarot – Como funciona?

Em grande medida, é possível escolher a partir de qualquer uma das explicações acima.

Atualmente, não temos nenhuma evidência firme ou ideia clara e objetiva de como o tarot funciona.

Muitas vezes as explicações se resumem ao modo como as pessoas sentem-se mais confortáveis ao adotar uma opinião e normalmente, sob a influência do relativismo do “politicamente correto”, principal mal da nossa época, esse modo elabora-se por conveniência ou comodismo, onde atualmente, tudo vale, o importante é “se sentir bem”.

Na minha própria experiência, acho que a teoria dos jogos lúdicos é uma explicação completamente inadequada – eu vi muitos, muitos jogos ao longo dos anos, e a precisão com que as cartas caem em padrões significativos é muito grande para que tudo seja meramente “O olho do espectador “.

Também é tentador usar o termo sincronicidade para descrever os fenômenos que estamos vendo, mas isso é só porque soa um pouco científico e técnico.

Ele realmente nos diz muito pouco, porque é mais uma descrição do que uma explicação.

Ele simplesmente diz “coincidências significativas acontecem”, mas de forma alguma sugere como ou por quê.

A teoria espírita por si só denota-se como uma falácia por não haver conexão direta entre tarot e espiritismo.

Eu também acho a ideia de influência subconsciente não explica muita coisa, embora, em termos de explicações subjetivas, seja a mais palatável. Contudo, sempre esbarrará em conceitos como “influência psíquica” ou “energia”, algo completamente subjetivo, e quando explicam alguma coisa mencionando o termo energia, certamente é porque não se tem nada de concreto para explicar um fato.

Tarot de infinita possibilidades

Talvez possamos igualmente e legitimamente perguntar “por que a causalidade acontece”?

Na verdade, não importa! O que importa é que acontece, que a interpretação na leitura do tarot em suas quedas aleatórias das cartas funcionam.

E talvez essa seja a melhor atitude em relação ao Tarot – por que o Tarot funciona?

Simplesmente não temos suficiente entendimento para propor uma teoria que explique um efeito global em explicações menores de forças e movimentos, às quais possamos dar rótulos.

Isso não significa que não devamos tentar, e eu acredito que haverá progresso nesta área com o passar dos anos, mas por enquanto parece haver pouca chance de sucesso para se dar uma explicação definitiva sobre como o tarot funciona .

O problema principal é que o Tarot parece funcionar por um conjunto diferente de regras daquelas com os quais estamos lidando na realidade cotidiana “mundana”.

Geralmente não esperamos que eventos aleatórios se organizem de tal maneira que eles revelem a verdade ou possibilitem a percepção sobre o que está acontecendo em nossa vida.

É por essa razão que impressiona como o Tarô funciona de uma forma tão incrível! Não há nada mais que possamos realmente apontar na nossa vida cotidiana que apresente respostas tão claras sobre o que acontece em nossas vidas. Talvez a astrologia em certa medida, mas com uma dinâmica enquanto oráculo completamente diferente

Como o tarot funciona? Até agora eu não tenho nada mais do que uma descrição do que ocorre, e nenhuma boa explicação do porquê.

Mas funciona, e isso, para os meus propósitos é o que realmente importa!

Um dia eu gostaria de ser capaz de desvendar o mecanismo por trás dele, explicar exatamente como as cartas em um jogo aleatório podem apresentar-se de maneiras tão úteis.

Mas por enquanto, só sei que com a abordagem correta, a técnica adequada, o estudo, a disciplina, com o foco e a concentração necessária, as cartas se comportarão de uma maneira particular, e que isso pode ser aproveitado para efeitos úteis para mim e para meus clientes.

Quer saber mais sobre o Tarot? Bem, provavelmente a melhor maneira é ter uma leitura!

E ainda, navegar em meu site desfrutando dos demais artigos!

Para se consultar, acesse aqui: leitura de tarot.