Tarot Terapêutico Autoconhecimento no Amor e na Vida!

TAROT TERAPÊUTICO NO AMOR, NEGÓCIOS , FAMÍLIA

O que é o tarot terapêutico e como ele pode te ajudar?

Bem, para começarmos a falar de uma consulta de tarot com objetivos terapêuticos, precisamos abordar primeiro o que é terapia.

A origem do termo vem da Grécia, Terapheia, significa ato de curar, ou seja, em qualquer processo terapêutico a busca é de uma cura, seja física, emocional ou mesmo, pensando de uma maneira mais abrangente e espiritualista, uma cura da alma.

Nas civilizações tradicionais, em especial em nossa civilização ocidental, até o período do Iluminismo, o bem estar físico e emocional sempre esteve atrelado a religião, ou seja, o homem tradicional vivia e existia sob uma profunda influência espiritual, sua ligação com Deus, com a natureza, com os ciclos cósmicos e com os planos mais elevados de consciência era uma constante e por isso mesmo, estar em paz com Deus e consigo mesmo (que em sua essência trata-se da mesma coisa) era algo que acontecia naturalmente.

Não por um acaso, o tarot tradicional, base de todos os tarôs que foram criados posteriormente tem origem na idade média. O mais famoso até hoje desses tarôs tradicionais é o tarot de Marselha.

Temos no tarot tradicional toda a simbologia pertinente aquele período, e entre as figuras religiosas, temos a carta do Papa simbolizando a referência e norte espiritual da humanidade daquele período, a carta do Ermitão que simboliza também o homem religioso que vivia nos monastérios ou mesmo isolado em sua busca espiritual. Temos o Imperador, a Imperatriz, os reis, rainhas, cavaleiros e pajens nos arcanos menores, o mago que simboliza os artistas saltimbancos das feiras e mercados medievais, entre outros personagens desta época.

Em suma, todos os tarólogos realmente estudiosos dessa arte de colocar as cartas e realizar um bom jogo de tarot tem plena consciência de que se hoje exercem esse ofício, devem ter imensa reverência e gratidão aos ancestrais do período medieval, que a propósito, não tem nada de idade das trevas, afinal, somente uma civilização profundamente evoluída e de refinada inteligência seria capaz de criar não somente o tarot, mas também, as artes clássicas, a arquitetura das catedrais, o trivium e quadrivium das artes liberais, etc

Contudo, a idade moderna, a partir do Iluminismo, foi a responsável por esse afastamento do homem em relação a Divindade e por consequência, de si mesmo. O cartesianismo desmembrou as ciências que em sua base eram complementares e com isso, o homem perdeu o sentido de si mesmo e dos objetivos da vida.

O que vemos hoje é reflexo desse processo extenso que aprofundou-se com a revolução francesa e que ainda, deixa profundas marcas no mundo contemporâneo.

O ser humano egocentrista, vaidoso, que cultiva um espírito de rivalidade muitas vezes até mesmo no seio da própria família. O sentido de nação, o patriotismo, valores familiares e religiosos se perderam.

E com isso, o homem tornou-se profundamente doente, fisicamente como nunca antes na história da humanidade (doenças que nem mesmo a mais moderna medicina é capaz de curar) e principalmente em seu emocional, a angústia existencial, insatisfações em todos os níveis, ansiedade, medo da vida, medo do futuro, inseguranças de todas as formas, um doente da alma.

Diante dessa situação, sem encontrar solução para seus problemas, muitas pessoas estão se voltando para as terapias tradicionais, medicina chinesa, ayurvédica, a homeopatia que tem sua fundamentação no pensamento hipocrático (semelhante cura semelhante), rituais sagrados de origem afro-brasileira ou indígenas, ou seja, o homem moderno volta-se para o passado em busca de sua reintegração.

A igreja moderna perdeu sua essência em relação a igreja original, excetuando-se algumas Igrejas Ortodoxas Orientais ou alguns poucos grupos que ainda seguem o Catolicismo Tradicional, os quais são ainda capazes de promover esse religare entre o ser humano e Deus.

Vemos em nossa vida moderna realmente as pessoas tristes, sentimentalistas, solitárias e melancólicas, que mesmo com o tão grande mercado de entretenimento (e distrações), não são capazes de ficar bem consigo mesmas!

O Tarot Terapêutico

Posso afirmar que todas as consultas de tarot são consultas que contém um fundo terapêutico, independente do tarólogo ou consulente terem isso enquanto prioridade.

Se não, vejamos:

– Toda consulta de tarot não busca por respostas que possam trazer conforto e tranquilidade para quem se consulta?

– Toda consulta de tarot não tem como foco principal o consulente e suas angústias, seus medos, suas ansiedades e preocupações?

– Toda consulta de tarot por consequência, não oferece subsídios para a reflexão e o autoconhecimento?

Pois bem, assim sendo, toda vez que alguém busca respostas, sobretudo respostas sobre seus próprios conflitos e problemas interiores, está em busca de si mesmo, de sua essência, de conhecer-se melhor e isso naturalmente abre um pressuposto para que haja a possibilidade de um processo de cura.

As cartas do tarot são auxiliares nesse processo, pois refletem não apenas as situações circunstanciais, mas também, aspectos psíquicos de quem consulta.

É evidente que uma consulta de tarot por si só não sanará todos os problemas de quem consulta, mas será um excelente indicativo nessa busca de caminho, nessa referência que tantas vezes precisamos quando estamos perdidos, sem encontrar saída, talvez até sem mesmo saber por onde começar!

A verdadeira cura interior deve ser um processo integral, envolvendo desenvolvimento cognitivo, intelectual, teológico, espiritual e religioso, e ainda, por estarmos tão desequilibrados, muito provavelmente será necessário uma ajuda através das terapias tradicionais.

Há de se ter a noção que não trata-se de um tratamento multidisciplinar, isso é um pensamento cartesiano, e sim, que é necessário que nos cuidemos de uma maneira integrativa.

A consulta de tarot com essa visão terapêutica certamente é um poderoso aliado nesse busca!