Magia do Tarot

Tarot e simpatia: qual a relação?

Absolutamente nenhuma! Existe muita confusão, desinformação e misticismo a respeito da consulta de tarot. A leitura das cartas de tarot ou de baralho cigano vem de encontro a uma necessidade básica de todo o ser humano: compreender a si mesmo, ao próximo e as situações que vivencia no dia a dia. A leitura do tarot também permite além dessa análise, um ensejo à mudança interior e consequentemente, da realidade em torno do consulente, uma vez que com maior lucidez e compreensão sobre seus objetivos e meios de chegar aos mesmos, naturalmente um processo de amadurecimento ocorrerá o que por sua vez, levará a mudança de atitudes e conduta, criando sua nova realidade.

Tarot é auto suficiente e se basta!

Por tanto, o objetivo do tarólogo competente e coerente em relação ao seu trabalho é de justamente buscar esclarecer, ajudar o consulente a ter discernimento em relação a sua vida e ao seu destino. Fazê-lo compreender que a vida funciona a partir de uma lei básica: ação e reação. Que cada nova ação gera consequências e que, a partir de ações corretas pode-se colher reações positivas em relação a própria vida. A consulta de tarot será então de auxílio ao processo reflexivo do consulente de modo ao mesmo fazer as escolhas corretas.

O tarot não e ilusão!

Como fazer a amarração do amor?

Sendo assim, é evidente que um tarólogo sério não irá se propor a resolver os problemas do consulente, seja ensinado simpatias ou fazendo “magias ou rituais” que tragam a “solução miraculosa” de todos os problemas que o consulente enfrenta. O profissional do tarot que é sério deseja e trabalha justamente para o crescimento de quem o consulta e não cria ilusões, falsas esperanças ou supostas soluções que mantenham o consulente em uma atitude de dependência infantil e passiva esperando resolver os próprios problemas sem tomar a responsabilidade que lhe cabe.

Espiritualidade é algo sério, nossa energia é algo sagrado! Se efetivamente houver problemas pelo lado espiritual, o consulente deve ser orientado a buscar ajuda em um lugar adequado, independente da vertente religiosa, pois todos os caminhos de busca de realização espiritual são maravilhosos. Não importa a religião, o que importa é o dirigente responsável e a generosidade com que se é acolhido nessa religião. Desse modo pode-se pensar em uma orientação e ajuda de verdade!

O que é impraticável é a confusão que existe, a fantasia em torno da prática do tarot, onde misturam tarot com mediunidade, vidência, simpatia, magia, e esquecem do essencial: o tarot se basta! É um instrumento completo com seu simbolismo e riqueza de detalhes, desde que, o tarólogo realmente saiba interpretá-lo.

E sendo assim, não precisará “enfeitar” a consulta de tarot com conceitos e fantasias completamente estranhos ao mundo do tarot!