O tarot Funciona de Verdade

O Tarot como instrumento de divinação

Do latim, divinus, vem o termo adivinhar. Este termo está etimologicamente relacionado à divindades ou deuses que na antiguidade, “inspiravam” as respostas dos oráculos, entre eles a consulta de tarot.

Comum a maioria das culturas antigas, a “previsão do futuro” se dava das mais diferentes formas: observação dos desenhos nas nuvens, galhos de árvores, moedas, entre tantas outras possibilidades, pois sempre foi algo inerente a natureza humana a busca de segurança e certezas em relação ao futuro.

Uma das teses que apontam uma possível explicação para o funcionamento dos oráculos se dá através da crença em uma suposta “força”, a qual conectaria todas as pessoas, objetos e eventos, o passado, o presente e os possíveis futuros, permeando toda a vida e existência.

Desse modo, seria por meio dessa “força”, que algumas escolas psicológicas nomeiam de inconsciente coletivo enquanto escolas ocultistas a chamam de éter, que os padrões “aleatórios” no embaralhamento e escolhas das cartas do tarot em uma consulta não ocorrem aleatoriamente e sim, espelham padrões internos que se refletem nos acontecimentos externos da vida do consulente.

Indicam com isso as perspectivas de ações, condutas e acontecimentos, desse modo delineando o futuro que está sendo construído a partir da expressão dos movimentos internos da psiquê de quem consulta ou sobre quem perguntamos no jogo do tarot.

Aparentemente, as projeções ocorrem incoscientemente o tempo todo em nosso comportamento, porém, observar o sicronismo entre essas projeções e os acontecimentos de modo expontâneo acontece muito raramente.

Por isso o tarot e os demais oráculos são ferramentas poderosas para esclarecer esses processos inconscientes, sentimentos e crenças equivocadas, comportamentos auto-sabotadores, entre outros benefícios.

Cada carta de tarot trás uma mensagem específica e particular quando realizamos uma consulta, uma mensagem intimamente ligada ao momento que o consulente está passando, direcionando as possíveis soluções para os problemas vivenciados, assim como, reforçando os aspectos positivos e valores que esse indivíduo possui, desse modo, assegurando maior lucidez e discernimento nas escolhas e atitudes que deverão ser tomadas.