Tarot Sorte e Felicidade

JOGAR TAROT PARA SER FELIZ?

Quantas vezes nos indagamos quando seremos felizes?

Muitas vezes, em meus atendimentos de  tarot essa pergunta é recorrente, pois é óbvio, todos queremos ser felizes!

Mas será que o tarô responde essa pergunta?

Sim, claro que responde, desde que o consulente esteja realmente disposto a ser feliz, e para isso, não é necessário saber quando isso vai acontecer e sim de que modo agir para que isso aconteça.

DE QUE MODO SER FELIZ?

Essa é a questão mais importante, pois enquanto subordinarmos nossa felicidade a uma determinada situação, a felicidade sempre estará adiante, pois o desejo no ser humano é uma característica complicada de lidar, onde normalmente, uma vez satisfeito determinado desejo, outros aparecem em seu lugar.

Sem o bom senso e a clareza para discernir o que é mero desejo e o que é uma vontade verdadeira, nunca estaremos satisfeitos e por consequência, nunca estaremos felizes!

ENTÃO COMO SER FELIZ?

Concultar tarot

Desejos, desejos, desejos….

Ao sair da ilusão da materialidade simbolizada fantasticamente por essa carta do tarot, podemos ter leveza e paz em nosso interior, pois escravizar-se e condicionar a felicidade a situações exteriores é uma armadilha da pior espécie. Por exemplo, pessoas que dizem que só estarão felizes e satisfeitas quando comprarem determinado carro, casa, celular, casa de praia ou de campo… Ainda pior, as pessoas frustradas porque não conseguem alcançar determinados objetivos, chegando até a adoecerem, desequilibrando o corpo e a mente.

Só existe uma saída: Procurar ser feliz no momento presente, no agora!

NO TAROT O ERMITÃO NOS MOSTRA ISSO!

Tarot e Conhecimento

Tarot – O Ermitão

Olhar para dentro, perceber-se, descobrir-se, enxergar além das aparências, compreender que enquanto não estivermos bem interiormente, o mais nunca será o suficiente para que fiquemos bem.

Ao consultar o tarot poderemos ter algumas pistas de como atingir esse objetivo, mas o trabalho maior depende de cada um, é um trabalho individual, que envolve reflexão, meditação, auto análise e discernimento. Além disso, como vimos na carta anterior, as tentações exteriores para tirar nosso foco são inúmeras, as distrações são as mais diversas… Quando se percebe, o pensamento já divagou, se perdeu, e em seguida, o emocional embarca junto nos altos e baixos das ondas de euforia e depressão.

Olhar para dentro, compreender que o que precisamos é muito diferente do que desejamos, esse é o Caminho!